Eyebat

“Estarei dizendo num suspiro meu
Em tempos e lugares de distância imensa
Em duas partiu-se num bosque a estrada, e eu…
Eu escolhi a que menos gente percorreu
e foi isso o que fez toda a diferença.”
‘A estrada não percorrida’, Robert Frost. Tradução de Celina Portocarrero, 2008.

No post anterior, eu postei a tatuagem que fiz na Amora, a esposa do Pedro.

Eles dois são daqueles que não seguiram a maré de pessoas e, de mãos dadas,  foram percorrer uma das estradas desconhecidas.

Não foi proposital, mas justo no dia que tatuei o Pedro, eu decidi sair de vez da estrada que todos me disseram que era mais segura.

Mergulho nesse caminho de floresta densa conduzida pela mão querida e amada do Marcel, mas mesmo assim é preciso respirar bem fundo! Não é fácil sair da zona de conforto, mas sei que aqui vou encontrar as flores e árvores que sonho tanto em ver.

Comments are closed.