Enso

Continuando a falar sobre o shodō, os zen-budistas acreditam que durante sua prática é possível meditar e atingir o estado quando a “não-mente” é que faz fluir os kanjis para o papel. Corpo, tinta, mente e pincel se tornam um todo com o ato de escrever. A esta escola da caligrafia japonesa é dado o nome Hitsuzendō, o caminho do pincel zen.

Todo esse pensamento pode ser sintetizado pelo Ensō. Ele é um círculo feito em uma única pincelada e em uma única respiração. Simples e complexo ao mesmo tempo. Representa a iluminação, o todo, o vazio, assim como a própria estética japonesa, além de muitas coisas mais.

Quem me deu a honra de tatuar um símbolo tão precioso foi um dos meus melhores amigos de infância. Não existem coincidências na vida, né? Tudo acontece com um propósito, e para mim isto veio para que eu pudesse agradecer, homenagear e abençoar, em um único gesto, por uma infância tão feliz e por amigos tão queridos.

Comments are closed.